Na Casa do Bosque recorremos a processos ancestrais – A importância de germinar os frutos secos

Na Casa do Bosque recorremos a processos ancestrais – A importância de germinar os frutos secos

Uma das características que nos distingue, é o recurso a conhecimentos ancestrais, os quais integramos nos nossos processos artesanais. Um destes, é a germinação dos frutos secos. Um processo que em inglês se chama de “activation” com alguma lógica, porque é o processo que inicia o despoletar da semente, para desta brotar uma nova planta. As sementes são na essência, uma nova vida, um conjunto de genes para a construção da geração seguinte.

Este processo consiste em demolhar os frutos em água, durante algum tempo, e voltar a secá-los. Ao fazermos este processo, a valência nutritiva dos frutos secos torna-se muito superior. A fibra reduz, as proteínas aumentam, as vitaminas também aumentam em cerca de 20%.

No processo de germinação, os minerais unem-se às proteínas, tornando o fruto seco mais assimilável pelo nosso organismo. Os fitatos, acidez que causa habitualmente indigestão e que bloqueiam os nutrientes, é eliminada dos frutos germinados que acabam por contribuir deste modo para a alcalinização do nosso organismo.
Além de tudo é um processo ancestral, começado há milhares de anos, e que nos possibilita esta ligação ao legado dos nossos antepassados, num vinculo com os métodos tradicionais e artesanais. Isso para nós é mágico!

Como se isto tudo não bastasse… os frutos secos ficam muito mais saborosos!

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.