Loja

Tablete Crua de Alfarroba – Original (Cópia)

1.88

Deliciosas Tabletes feitas a partir da fusão entre cacau e alfarroba, acompanhados de uma pitadinha de açúcar de coco para conseguirmos uma tablete equilibrada, surpreendente e muito nutritiva.

 

Usufrui de um “chocolate” singular feito artesanalmente a partir de ingredientes simples e Naturais, com uma aparência, textura, solidez, aroma e sabor próximo de um chocolate convencional com o toque Nativo da nossa alfarroba.

 

Todo o sabor dos ingredientes vegetais biológicos, onde os nutrientes estão garantidamente presentes. Sem corantes nem conservantes, sem açúcar refinado e sem glúten.

 

Ingredientes:
Manteiga de cacau*; farinha de alfarroba (38%)*; açúcar de coco*.

*proveniente de agricultura biológica. Pode conter vestígios de frutos secos de casca rija

91 em stock

REF: raw-carob-bar-original-1 Categories: , Tags: , , , , , , ,

Descrição

Cereja Silvestre

Cereja Silvestre

(Prunus Avium)

Características:

A Cerejeira-brava vegeta habitualmente até uma altitude de 1000m em vales resguardados. Suporta frios invernais intensos, requer climas húmidos, com distribuição regular da precipitação. Frutifica com abundância e regularmente desde os 10 anos. A árvore adulta alcança os 20-25 m de altura. Possui copa ampla, pouco densa e irregular ou piramidal, mais ou menos alargada. Cresce rapidamente até aos 50-60 anos e decresce posteriormente A longevidade é de 100 a 120 anos.

A alfarroba é o fruto alongado, de 10 a 22 cm de comprimento que é verde quando jovem, mas cresce rapidamente entre fevereiro e início de junho altura em que a sua cor muda para chocolate escuro.

Utilização:

As alfarrobas, vagens nutritivas e saborosas, são usadas desde há muito tempo para alimentar o gado e como alimento humano. Consta que ainda há algumas décadas eram vendidas na rua, em Cacilhas como se fossem chocolates as próprias vagens. Na antiguidade as sementes foram ainda utilizadas como unidade de peso (carate) para materiais preciosos.

Actualmente, a alfarroba, é utilizada na alimentação humana por ter um sabor adocicado, sendo frequentemente usada como substituto do chocolate na confecção de doces.

A semente também é usada para extração de uma goma com variadíssimas aplicações industriais, nomeadamente no setor alimentar como espessante, estabilizante e emulsionante mas também na indústria têxtil, na industria papeleira, e na indústria farmacêutica.

Fontes:

Jardim Botânico UTAD

Corco

Corço

O que é um Corço?

O corço ibérico, o menor dos cervídeos europeus, possui aspecto próximo dos veados mas mais gracioso e esbelto. Da sua morfologia, destaca-se a extremidade negra do focinho, com os lábios e queixo brancos, grandes orelhas e um escudo anal branco que contorna uma cauda curta e rudimentar e hastes no macho. O corço varia entre castanho-acinzentado no Inverno a castanho-avermelhado no Verão. Este cervídeo caracteriza-se por uma excelente e selectiva capacidade auditiva e uma boa capacidade olfactiva, sendo capaz de detectar o mais ténue movimento físico. O corço é um animal crepuscular, tímido e esquivo, aparecendo e desaparecendo rapidamente entre a vegetação, motivo pelo qual tem sido apelidado de “o duende da floresta”.

Como se Comporta um corço?

o corço foi descrito como uma espécie típica de zonas de bosque, de comportamento solitário e que vive em pequenos grupos familiares. No entanto, nos últimos anos, ao colonizar novos habitats, desde bosques a montanhas sub-alpinas, até ecossistemas agrícolas mediterrâneos com pequenas manchas florestais, esta espécie demonstrou uma elevada plasticidade na sua estrutura social e espacial em função das características do território que ocupa.

De que se alimenta?

Tem-se vindo a constatar um curioso comportamento alimentar que adopta, no Inverno, consumindo plantas com elevado conteúdo em substâncias tóxicas, como os taninos (usados pelas plantas como estratégias anti-herbivoria), que acabam por ser bastante úteis nalguns processos metabólicos. Esta adaptação evolutiva permitiu a esta espécie desenvolver-se em florestas temperadas, aproveitando salgueiros e loureiros, entre outras plantas. Também fazem parte da sua dieta folhas e rebentos de espécies arbustivas e arbóreas, bagas e outros frutos de plantas lenhosas, herbáceas, flores e, menos comummente, fungos. O tipo de alimentação do corço varia não só com o tipo de habitats mas principalmente com as estações do ano. Durante o Inverno, a disponibilidade de alimento diminui e a sua dieta torna-se menos variada, o que promove o consumo de matéria vegetal mais concentrada como sementes e frutos.

Fontes: www.naturdata.com

Nutritional Facts
Nutritional Values 25gr
energy (kJ) 615
energy (kcal) 148
fat 13,7gr
saturates 8,6gr
carbohydrate 23gr
sugars 19gr
protein 0,9gr
salt 6,5mg